Dólar em alta: qual o impacto sobre o Espírito Santo?

dólar em alta

Exportadores ficam mais ricos, pois são beneficiados pelo dólar em alta. Por outro lado, os importadores perdem receita, sendo prejudicados, assim como todos os consumidores. Afinal, tudo que se consome ou é importado ou é importável.

Esse é o efeito padrão de qualquer aumento de moeda estrangeira. Ou seja, um pequeno pedaço do setor produtivo se beneficia às custas dos demais.

O impacto sobre o mercado capixaba

Uma vez que, o Espírito Santo é um estado exportador de commodities, os impactos tendem a ser positivos. Entre os exemplos de setores mais tradicionais estão: a Aracruz Celulose ao norte, o setor de rochas e pedras ao sul e a maioria dos municípios que contam com produtores de café.

Logo, a expectativa é de um crescimento da receita desses setores, da mesma forma que haverá uma redução dos ganhos entre as empresas importadoras do estado.

Imagine o caso de uma pequena padaria de bairro: com o aumento do câmbio, o trigo fica mais caro. Consequentemente, esse valor deve ser repassado aos consumidores de pão, gerando pressão inflacionária.

Contudo, caso ele não seja repassado, a margem de lucro da padaria necessariamente diminuirá, restando duas possíveis decisões ao empresário. Em primeiro lugar, o negócio pode acumular prejuízos, arriscando inclusive fechar as portas.

Já a segunda opção é: o empreendimento pode migrar para a informalidade, resultando em queda de arrecadação para o estado.

Ou seja, se as empresas começarem a quebrar, a economia como um todo pode sair dos trilhos, em consequência ao dólar nas alturas.

Lucro e investimento com o dólar em alta

Vale lembrar, que mesmo os exportadores ganhando em lucratividade com o dólar em alta, não há garantia de que o setor investirá mais para expandir suas atividades.

Isso porque não sabemos se a taxa de câmbio a esse valor é sustentável. Isto é, há uma incerteza no ar e a regra do mercado é de que incertezas tendem a paralisar investimentos até que o cenário fique mais claro.

No entanto, o fato é que a maioria dos capixabas perderá renda enquanto alguns setores específicos serão beneficiados, devido à desvalorização do real.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *