Incertezas sobre política fiscal interrompem recuperação do preço dos ativos

Incertezas sobre política fiscal

Nos últimos 30 dias, enquanto os principais índices da bolsa americana tiveram alta entre 8% e 10%, o Ibovespa teve queda de mais de 3%. Ao mesmo tempo, o dólar teve forte valorização contra o real, chegando a subir mais de 8% (hoje está em torno de 5%). O motivo são as incertezas em relação à política fiscal que atuam no momento, apesar dos dados econômicos positivos.

Dados econômicos positivos

A explicação para este comportamento não está no desempenho da atividade econômica. Isso porque os dados da economia brasileira mostram uma boa recuperação. Os crescimento mensal do setor industrial, de serviços e a criação de empregos vieram acima da expectativa de mercado.

O PMI da indústria brasileira do IHS Markit chegou a 58,2 pontos em julho, ante 51,6 pontos em junho, ambos os dados acima dos 50 pontos, que marcam o crescimento da atividade.

Já no que se refere às vagas de emprego com carteira assinada, o Brasil abriu 131.010 vagas no mesmo mês, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o qual foi divulgado pelo Ministério da Economia. Nesse âmbito, foram 1.043.650 contratações e 912.640 demissões registradas no período.

Assim, o fortalecimento da reabertura econômica intensifica o desempenho positivo do país e, devido aos números acima do esperado, o mercado começa a reduzir o tamanho da recessão de 2020.

As incertezas na política fiscal

Dessa forma, a queda do Ibovespa e o aumento do dólar foram gerados pela incerteza quanto aos rumos da política fiscal. Esta incerteza na política fiscal surge do comportamento de membros do governo e do Congresso de querer expandir o período em que vigoraria o estado de calamidade e o atual nível de déficit público. Além disso, os debates em torno da possibilidade de violar o teto dos gastos públicos foram intensificados.

A resposta do mercado foi imediata: aumentar a proteção com dólar, reduzir a exposição nos mercados de risco, como o de ações, e demandar retornos mais altos para financiar o governo. Em síntese, dólar e a expectativa de juros futuros aumentaram e o Ibovespa caiu.

O governo Bolsonaro deveria ter aprendido com o governo Dilma. Déficit elevados e dívida pública em rápido crescimento geram instabilidade e recessão. E a recessão reduz a aprovação de qualquer governo.

Se o governo Bolsonaro quer manter sua aprovação em alta, deveria fazer o dever de casa, cortando e controlando os gordos privilégios do setor público. Ao fazer isso, deverá sobrar, inclusive, mais dinheiro para a população de baixa renda que tanto precisa de ajuda nesta recessão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *