Impactos da crise fiscal sobre a inflação

crise fiscal

As sinalizações do governo Bolsonaro nos dois últimos meses, buscando novos gastos e demonstrando abandono da reformas, teve impactos imediatos no mercado brasileiro, sinalizando uma crise fiscal no governo. Um destes é o aumento do dólar, que veio se intensificando nos últimos meses. Em meados de julho, o dólar chegou a ficar abaixo do patamar dos R$ 5,00, mas agora, em outubro, já opera na casa dos R$ 5,60. Além disso, o risco país aumentou, assim como o retorno dos títulos públicos. 

A razão para este comportamento é clara. Dado os elevados déficits, as tentativas de aumentar os gastos, levariam ao aumento ainda maior da já elevada dívida pública, gerando também crescimento do risco de crédito do governo.

Impactos do câmbio elevado e da crise fiscal no preço dos bens em reais

Este aumento do dólar em detrimento do real impacta diretamente nos preços em reais dos bens comercializáveis, podendo pressionar ainda mais a inflação ao consumidor, que já se encontra pressionada e em trajetória de alta.

Para se ter uma ideia, a inflação ao consumidor no Brasil (IPCA) em setembro está acumulada em 3,14% em 12 meses. Mas, a inflação no atacado (IPA-M) está acumulada em 25,3%. Isto é, devido à forte recessão, as desvalorizações do dólar em 2020 ainda não chegaram ao consumidor final, embora tenham chegado no atacado.

Mas o estágio atual de recuperação da economia está mudando as condições de mercado. Com a recuperação e a expansão da demanda, os aumentos dos preços no atacado estão sendo repassados ao consumidor final, elevando a inflação. 

Aqui entra o governo, gerando instabilidade, desvalorizando o real e pressionando ainda mais os preços ao consumidor. 

O Brasil já viveu vários episódios onde a irresponsabilidade e a crise fiscal gerou instabilidade, queda de crescimento e inflação. Infelizmente, poderemos viver mais um deste momentos caso o governo não corte seus gastos e retome as reformas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *