A inércia institucional e os interesses políticos no Brasil

Inércia institucional

Nos últimos dias, temos presenciado uma situação delicada em alguns estados do norte do Brasil. A falta de oxigênio, que ocorre principalmente em Manaus, está dificultando o tratamento e aumentando a possibilidade de mortes devido à Covid-19. Nesse cenário, a inércia institucional do país se mostra cada vez mais latente.

Como sempre, a comoção e a indignação tomaram conta do país. Convenhamos, um país que entrega 34% do PIB ao governo não deveria viver uma situação como esta. As críticas se multiplicaram e começou a caça às bruxas. Uns criticam e apontam o governo federal como culpado e outros criticaram a imprensa.

Medidas a serem tomadas contra a inércia institucional

Independente da onda de indignação devido à falta de oxigênio, duas medidas deveriam ser tomadas: (i) buscar eliminar rapidamente a falta de oxigênio; e (ii) identificar de quem é a responsabilidade e promover mudanças e punições necessárias, visando coibir futuros novos erros.

Caso a regulação esteja impedindo as compras na velocidade demanda pela pandemia, deve-se buscar alterá-la, impedindo que a situação continue se repetindo. Mas se o erro é de gestão e de indivíduos, estes deveriam ser processados e punidos.

É assim que podemos melhorar as instituições do país. Dando aos indivíduos os incentivos para cumprirem suas funções, sejam eles políticos, empresários, trabalhadores do setor público ou privado. Sem isso, o erro ou a omissão não são punidos e não há porque os indivíduos buscarem cumprir suas funções de forma eficiente e dentro da lei.

Infelizmente, nosso “track record” não inspira otimismo. Isso porque, em geral, passada a comoção inicial, quando diferentes grupos tentam coletar benefícios políticos, com uma crítica caótica e sem fundamentos aos rivais, as mudanças não ocorrem e os culpados não são punidos.

Depois de cada tragédia, o país volta ao estado inicial e os grupos de interesse voltam para casa. Isto é, todos esperando a próxima calamidade para tentar colher novos ganhos políticos, criticando os rivais, independente de serem estes responsáveis ou não. Enquanto isso, culpados ficam sem punição e instituições e incentivos sem correções, prontos para gerar a próxima tragédia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *