Vitória é a 6ª cidade mais competitiva do Brasil

cidade mais competitiva

A capital do Espírito Santo, Vitória, vem ganhando reconhecimento nacional ao longo dos anos com suas potencialidades se tornando cada vez mais evidentes, sendo a sexta cidade mais competitiva do Brasil.

Em diversos rankings e estudos, o município capixaba aparece entre as mais bem colocadas capitais do país. Por exemplo, a cidade tem o 5º maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país. Além disso, já foi considerada uma das mais inteligentes e conectadas e um dos municípios brasileiros com a população mais feliz.

No entanto, um dos índices mais importantes quanto ao desenvolvimento de um município com cerca de 360 mil habitantes é o que mensura seu nível de competitividade em relação às demais cidades brasileiras – que explica grande parte de seu sucesso.

De acordo com o Ranking de Competitividade dos Municípios, feito pelo Centro de Liderança Pública (CLP) neste ano de 2020, Vitória aparece como o 6º município mais competitivo do país, atrás apenas de Barueri (1º); São Caetano do Sul (2º); São Paulo (3º); Florianópolis (4º) e Curitiba (5º), ficando, portanto, como a 4ª capital melhor colocada na classificação.

O que é avaliado no Ranking

O último estudo divulgado analisou o ambiente de negócios e o ordenamento institucional de 400 cidades brasileiras.

Foram levantados índices baseados em três dimensões: as Instituições, a Economia e a Sociedade, havendo, dentro de cada uma delas, 12 pilares aprofundados em 55 indicadores.

Com notas entre 0 a 100 para cada categoria, a análise foi fundamentada com base em discussões técnicas com profissionais do ramo, revisão de literatura especializada, benchmarks variados e seleções de informação e conteúdo pertinentes.

Vitória na questão econômica

Na dimensão da economia, foram avaliados a inserção econômica da população, como sua taxa de emprego formal; a inovação e o dinamismo econômico, a partir da renda, da produtividade e dos setores criativos; o capital humano, relacionado ao ensino e a qualificação dos trabalhadores; e o acesso às telecomunicações.

Neste âmbito, a capital capixaba aparece em sua melhor posição a nível nacional, aparecendo em 5º lugar, com 46,13 pontos. A boa colocação vai na direção da liberdade econômica do estado do Espírito Santo, que é destaque nacional ao aparecer como o 3º estado mais economicamente livre do Brasil, de acordo com índice da Mackenzie.

Além disso, Vitória tem destaque – dentro do âmbito da inserção econômica – no que se refere à formalidade no mercado de trabalho, no qual aparece na 3ª colocação geral, com 72,80 pontos. Em 2019, por exemplo, a capital foi a 8ª que mais criou empregos formais no mercado. Não à toa, em 2018, Vitória foi considerada a melhor cidade do país para se empreender.

A cidade também é um dos melhores municípios em Capital Humano, aparecendo em 3º lugar na taxa bruta de matrículas do Ensino Superior e na qualificação dos trabalhadores em emprego formal, demonstrando avanço na formação e no preparo de seus cidadãos.

Desafios ainda são presentes em diversos setores, como no que se refere à população mais pobre: em 2018, a renda da parcela mais vulnerável dos capixabas quase ficou estagnada. Nesse sentido, Vitória tem um desafio social importante a ser realizado no ES.

Vitória e suas Instituições

Na dimensão das Instituições, Vitória também figura bem, na 11ª colocação, com 68,89 pontos. Nesse quesito, são avaliados o funcionamento da máquina pública, como os custos e a transparência dos serviços; e a sustentabilidade fiscal, a partir de fatores como a taxa de investimento e seu endividamento.

Dentro dessa esfera, a capital do Espírito Santo tem destaque em transparência municipal, aparecendo na 4ª colocação geral, com 98,93 pontos – dentro do funcionamento da máquina pública. De fato, por vezes o município teve destaque como a capital mais transparente do país, como foi em 2015.

Quanto à qualificação dos servidores, a região pode melhorar. No ano de 2020, durante a pandemia, o Tribunal de Justiça do Espírito Santo – por exemplo – foi considerado o menos produtivo do país. Diante disso, Vitória pode ser pioneira em mudanças administrativas com mais eficiência no setor público.

Vitória e o quesito ‘’Sociedade’’

No estudo da questão da Sociedade, foram avaliados fatores como o acesso à saúde, educação, segurança e saneamento, temas amplos e que merecem profunda dedicação do poder público devido à sua complexidade.

Neste setor, Vitória deixa a desejar, aparecendo em 81º lugar, com apenas 70 pontos. Os desafios são complicados ao redor do país inteiro, mas a capital capixaba deve procurar se manter entre os melhores e que mais progridem.

Em relação ao saneamento básico, por exemplo, o Espírito Santo conta com praticamente metade de sua população sem tratamento adequado de esgoto. Exemplos como esse representam bem a necessidade de desenvolvimento em questões sociais importantes.

Assim, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (o IDEB), a saúde e os índices de violência deveriam receber maior enfoque por parte das instituições.

No Sudeste, Vitória aparece ainda melhor

No ranking da região Sudeste, a capital capixaba aparece como a 4ª cidade mais bem colocada, atrás apenas de Barueri, São Caetano do Sul e a cidade de São Paulo.

Dentre os 405 municípios analisados pelos especialistas do Centro de Liderança Pública (CLP), 183 pertencem a esta região (45.2% da amostra), o que diz respeito a quase metade do número de municípios em análise. Desse modo, o Sudeste aparece como a região com o maior volume de municípios no ranking, com número superior ao dobro da segunda região mais presente, o Nordeste.

Tal colocação da cidade, portanto, merece destaque porque pode contribuir para a atratividade de investimentos e de empresas que estão localizadas nessas regiões.

No caminho da prosperidade

Com o fortalecimento de suas instituições, um contínuo respeito ao pagador de impostos a partir de uma boa gestão da máquina pública e a disponibilização de um próspero ambiente de negócios, Vitória tem a receita para continuar ganhando relevância no cenário nacional. Assim, a capital capixaba deve continuar surpreendendo e alavancando o nível de competitividade dos municípios brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *