Impacto de reduzir o preço dos combustíveis

reduzir o preço dos combustíveis

As manifestações do presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias sobre os aumentos de preços da Petrobras e a troca do presidente da estatal geraram volatilidade e incerteza, levando as ações da Petrobras a despencarem nesta segunda-feira com as intervenções (PETR4 -20,7%; PETR3 -20,48%). Com isso, Bolsonaro promete encontrar soluções para reduzir o preço dos combustíveis.

Não há dúvidas de que o aumento do preço dos combustíveis vai impactar os mais pobres. Entretanto, a Petrobras não deveria ser usada para fazer políticas públicas. Isso porque essa ação gera incertezas sobre os preços dos combustíveis ao reduzir a lucratividade da empresa e do setor, prejudicando os investimentos privados. Além disso, o uso da Petrobras para controlar preços deveria ser evitada para respeitar a lei de defesa da concorrência.

Qual deveria ser o papel do governo

Para fazer políticas públicas ou tentar proteger os mais pobres, o Governo Federal já arrecada cerca de 23% do Produto Interno Bruto (PIB). Mas o governo não possui recursos, pois se nega a cortar os privilégios do setor público que consome a maior parte do seu orçamento.

Tendo passado o ano de 2020 sem avançar as reformas e tendo gastado demais, o governo continua sem querer fazer o óbvio e aprovar as PEC 186, 188 e a Reforma Administrativa. Isso permitiria ao governo cortar gastos e liberar recursos que poderiam ser usados para auxiliar os mais pobres.

Além disso, ao avançar com as reformas e reduzir o risco fiscal, o governo melhoraria as expectativas e ajudaria na recuperação econômica do país.

Infelizmente, não parece ser este o caminho que será seguido. Mais uma vez, o governo deve reduzir o preço dos combustíveis, reduzir a lucratividade da Petrobras, inclusive subsidiando o consumo de combustíveis das classes de alta renda. Depois é só esperar chegar a conta ao setor privado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *